Filhas das Trevas
Bem Vindos ao Forum Filhas das Trevas, conecte-se e veja todas categorias(e paginas) do forum!
Conectar-se

Esqueci minha senha

Bem vindo!

Últimos assuntos
» GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! Cade todo mundo?!
17/06/18, 02:24 am por Sophya

» Apresentação
14/09/14, 05:11 pm por Rafinha

» Nova na área...
09/04/14, 09:30 am por Isadora Aleh Ferry

» O Resgate do tigre - Colleen Houck
28/03/14, 03:49 pm por elida_martins

» Oi :3!!!!!
02/01/14, 12:03 am por Beatriz

» Sociologia Vampira 415 // IMPRINTING
29/12/13, 01:54 pm por Duda Redbird

» Um elenco para The house of night.
29/12/13, 01:49 pm por Duda Redbird

» Da carona ou atropela?
09/12/13, 04:02 pm por Debrah

» Zoey Redbird
17/10/13, 04:20 pm por Bella Salvatore

Foruns Parceiros
banners rolando pra cima

True Blood Portugal



Vampire Academy Portugal

Forum Fallen - Hush,Hush - Anjos Caidos

Apaixonados por Livros

Os membros mais ativos do mês

Nosso Twitter!
Frase do Mês!!
"Os livros nos dão conselhos que os amigos não se atreveriam a dar-nos." Samuel Smiles

::.. Blood ties ..::

Ir em baixo

::.. Blood ties ..::

Mensagem por Milly_Kamelot em 13/10/09, 10:45 pm

Bella & Edward

Blood ties » Bella esta começando a descobrir os verdadeiros significados das palavras: amor e paixão. Mas e se essas palavras estiverem ligadas a uma única pessoa, e se essa pessoa for seu irmão? o que ela fará?

Blood ties


Epílogo

A criança corria alegremente no pequeno pátio da casa branca. Com os cachos levemente avermelhados caindo sobre suas costas, enquanto seu rosto rosado ria demonstrando toda a felicidade que o pequeno ser sentia naquele dia ensolarado.

Deveria ter pouco mais de cinco anos de idade. Mas sua expressão facial mostrava a todos que ela era a pessoa que mais se divertia e ria naquele dia. Não que os outros acompanhantes também não estivesse alegres e tão igualmente felizes, mas essa garota em especial parecia um sol brilhante a seus olhos.

Orgulhoso continuou a fitar sua pequena criança, com os olhos apaixonados de um pai amoroso. A garota continuava a correr pelo pátio seguida pelo irmão mais velho, três anos mais velho, mesmo assim tão inseparável e protetor.

Sua esposa sorria ao seu lado, agora também prestando atenção nos dois irmãos que brincava sobre o sol do entardecer.

- Eles são tão perfeitinhos juntos.

Eu sorri com o comentário de Esme, ela tinha razão. Nossos dois filhos casulas eram lindos, saldáveis e se davam tão bem juntos, um realmente amava o outro.

E a pequena fazia questão de sempre demonstrar o quando amava seu irmão mais velho. O que as vezes fazia Emmett, seu outro irmão ficar enciumado por não ser o preferido da casula.

Emmett, o mais velho dos três filhos, com seus 13 anos, não prestava atenção nas crianças como seus pais faziam. Ele estava ocupado devorando o ultimo pedaço da torta de maça feita pela mãe.

O outro garoto sorria, seu cabelo rebelde e bagunçado, brilhando em um tom avermelhando e dourado, enquanto brincava com sua irmãzinha, a abraçando e fazendo cócegas para vê-la rir mais e mais. Uma risada gostosa que o fazia ficar feliz, mesmo sem compreender o porque.

Fazendo cócegas na irmã sobre o sol alaranjado ele viu o claro de um flesh iluminá-los, o que chamou a atenção das duas crianças para os pais, que sorriam alegremente, sua mãe segurando uma maquina fotográfica, sorrindo contente e dizendo que conseguira uma foto perfeita.

Os irmãos não deram muita atenção, logo estava brincando novamente, ela com seus cabelos avermelhados correndo pelo pátio rindo os olhos castanhos brilhantes enquanto o irmão sorria com os olhos verdes tão brilhantes quanto o da menina.

A voz do pai os chamando fez os dois correrem na direção do mesmo.

- Isabella, Edward...

****


Spoiler:
- feito por mim, não aceite imitações tbm pode ser lindo no site: http://www.fanfiction.net/s/5084826/1/Blood_ties


Última edição por Milly_Kamelot em 13/10/09, 11:06 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Milly_Kamelot
Vamp Novato
Vamp Novato

Mensagens : 22
Pontos : 28
Data de inscrição : 13/10/2009
Idade : 135
Localização : sentada perto do muro lendo o livro de como os espíritos podem ser perigosamente perigosos quando não são invocados de maneira adequada.

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Levanah Latleia
Classe: Terceiros Formandos Terceiros Formandos
Afinidade Afinidade: Água Água

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Admin. em 13/10/09, 10:53 pm

O_O incesto */ñ me lembro se caso entre irmãos tbm se chama assim, continua *-*
avatar
Admin.
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 533
Pontos : 667
Data de inscrição : 19/07/2009
Idade : 27
Localização : my thoughts

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Liv
Classe: Sextos Formandos Sextos Formandos
Afinidade Afinidade: Espirito Espirito

http://www.filhasdastrevas.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Milly_Kamelot em 13/10/09, 11:03 pm

Capitulo I


Dez anos depois...

- Não quero saber disso! Eu já falei pra ele desistir... pelo amor de deus!

Ela achava que não poderia ficar mais irritada do que já estava naquele dia pouco ensolarado, mas se enganara, e como! Nunca imaginara que seria tão difícil fazer alguém entender que ela não o queria!

Ela simplesmente dissera: Mike, eu não quero ser sua namorada, eu não quero ir ao baile com você, então desista!

Afinal o que foi que ele deixou de entender? Ela deixará claro, não queria namorar ele, e não queria e nem desejava ir ao baile da primavera da escola com ele.

Então porque ele insistia em ligar para a casa dela?! Em perseguí-la pelo corredor da escola, e tentar a todo custo fazer com que ela mudasse de idéia?!

Não fazia o menor sentindo, nunca em momento algum ela dera alguma esperança a ele, aliás ela fazia questão de deixar claro que o que ela queria dele era somente amizade nada mais que isso!

Mas agora tinha que lidar com uma mãe entusiasmada e reluzente pelo primeiro namorado de sua filha casula.

Não tive coragem de dizer a mamãe que ele mentira. Que o que ele falou pelo telefone era uma completa e ridícula mentira, puxa ela estava verdadeiramente feliz por me ver com um namorado, mesmo que ela não o conhecesse pessoalmente. Não que isso fosse um problema, ela já estava fazendo planos para convidá-lo a vir a nossa casa.

Enquanto isso eu, bom... eu deixava minha raiva e meu ódio me consumirem a ponto de assustar a Alice.

Eu estava falando com ela pelo telefone, ela estava em uma viajem pelo Canadá com os pais. Alice era minha melhor amiga, e eu sentia falta dela, mais do que eu pensava que poderia sentir.

- Bella calma! Você nunca foi assim, pare de se estressa com ele ou ficara com rugas horríveis!

Eu sorri sarcástica, me jogando na colcha da minha cama, olhando o teto. Com tanta coisa para pensar e ela me vê com RUGAS! Essa definitivamente era Alice!

Ela e do tipo que se preocupa com as coisas mais absurdas do mundo, como o fato do batom não esta combinando com a saia e a sandália ser a coisa mais importante do visual de uma mulher, então deve ser escolhido com muito cuidado, o que a faz demorar mais de meia hora só procurando a sandália perfeita.

- Alice! Você ouviu o que eu disse? Se eu não fizer alguma coisa eu provavelmente vou encontrar o Mike sentando a mesa do jantar!

Ela deu uma risadinha, e eu revirei os olhos. Ela não estava levando essa historia a serio! ótima que melhor amiga eu tenho...

- Bella, é só você falar com a sua mãe, ela é um amor e vai entender! Esme vai entender que tudo não passou de um engano...


Eu a cortei, quase gritando ao telefone.

- Engano? Ele disse a minha mãe que é meu namorado!... deus ela esta tão feliz com isso... não tenho coragem para dizer que é tudo mentira...

Falei desanimada, me sentando e olhando a estante bem organizada com meus livros prediletos, a qual eu sempre fazia questão de ler quanto tinha algum tempo livre.

- Você vai ver... e só dizer: mãe isso é mentira ele não e meu namorado... e pronto!

Falar é tão fácil, ela não tinha visto o olhar da minha mãe ou o sorriso dela. Suspirei e ouvi uma batida na porta.

- Alice tenho que desligar, a manhã eu te ligo!

Eu disse me levantando e andando preguiçosamente até a porta.

- Amanhã, você só pode estar brincando, assim que você falar com Esme eu quero que você me ligue e me conte como foi!

O tom de exigência dela me fez saber que era melhor eu ligar ou ela mesma faria questão de ligar às 4 horas da madrugada para me atormenta e me tirar do meu delicioso sono. Acredite, ela já fez isso uma vez.

- Esta bem eu ligo, tchau.

Eu desliguei o telefone e o coloquei na mesinha ao lado da porta, e sai do meu quarto sem muita confiança.

E lá estava minha mãe com os olhos cintilando de alegria, me pegando pelo braço enquanto nós duas descíamos as escadas para o jantar. Ela obviamente tinha um sorriso brilhante no rosto, e eu fazia o possível para esconder a minha raiva do Mike e o meu receio de fazer aquele sorriso lindo sair do rosto dela.

Mas quando chegamos no andar de baixo, e eu me deparei com toda a família a li, sentada no sofá da sala com expressões que ia de curiosidade a um misto de “o que diabos aconteceu para estamos todos aqui, e não na mesa de jantar?”

E eu passei a rezar.

Não precisei ser nenhuma vidente para saber o que aconteceria em seguida, e mais do que nunca queria que um buraco se abrisse aos meus pés.

Eu precisava, eu devia impedir que isso acontecesse. Eu precisava fazer isso não importava como, eu não podia deixar que minha mãe contasse a ele, melhor dizendo a eles. Não, nem pensar nisso!

- Acho que todos estão curiosos para saber por que eu reuni todos aqui...

Ela passou um braço sobre meu ombro e abriu um sorriso ainda maior. Minha coragem parecia desaparecer diante daquele sorriso amoroso. O que eu iria fazer?

Deus eu vou matar o Mike! Amanhã ele vai se tornara comida de vermes!

- Mãe....

Eu sussurrei sem muita coragem, será que ela ouviu?

- Por esse seu lindo sorriso querida, eu fico ainda mais curioso...

Meu pai disse olhando amorosamente a minha mãe. Eles se amam muito, e não precisa ser nenhum especialista no assunto para perceber isso, eles foram feitos um para o outro, e faziam questão de espalhar essa felicidade pela casa e pela família.

- Ei, eu to com fome! Ta pra ser rápido eu ainda tenho que sair...

Minha mãe lançou um olhar de repreensão ao Emmett, ele é meu irmão mais velho, ele é muito legal a maioria do tempo, menos quando esta com fome ou quando vai sair pra ver a Rosali, sua namorada, ai ele fica com um mau humor horrível, mesmo assim ele é um ótimo irmão mais velho.

Meu olhar caiu na ultima pessoa que estava na sala, este não fez nenhum comentário sobre estar ou não curioso, mas mantinha os olhos em mim, os lindos e fantásticos olhos verdes em mim.

Será que ele percebeu que eu estava incomodada com aquela situação? Ou que eu queria falar alguma coisa mas não tinha coragem para isso?

Normalmente ele percebe, ele sempre percebe o que estou sentindo, como se eu fosse algum livro aberto para ele ler.

- Bom... eu posso contar não posso amor?

Minha mãe olhou para mim sorrindo, e eu abri a boca para dizer um sonoro NÃO mas eu não consegui, ela estava radiante como uma criança em dia de natal, ela queria dar essa noticia e eu teria que fingir que era verdade, afinal eu sabia dês do começo que nunca seria capaz de tirar um sorriso tão lindo do rosto dela.

Eu definitivamente vou matar o Mike!

Suspirando, olhei o chão balançando a cabeça positivamente. Deus eu quero que um raio caia sobre a minha cabeça!

- Bom... – ela começou com a voz mais alegre do que nunca – A Bella tem um.. na-mo-ra-do! – ela falou pausadamente – O primeiro amor da nossa princesinha, não e um máximo?

Silêncio.

Eu obviamente ainda estava encarando o chão, mas aquele silêncio estava começando a ficar estranho. Tipo, nenhuma reação?! Ninguém rindo, ou dizendo “quem é o sujeito?”

Levantei o rosto, encarando primeiro meu pai, Carlisle. Ele parecia estar pesando em alguma coisa, ou tentando entender a informação que tinha acabado de receber.

Ele me observou com aqueles olhos verdes profundos, o que me fez corar. O que ele estaria pensando da filha mais nova?

Desviei o olhar para o Emmett, este parecia irritado com alguma coisa. Não tive coragem para olhar a ultima pessoa ali.

Logo ouvi a voz de Emmett quebrando o silêncio.

- Quem é o sujeito? Eu vou matá-lo se ele encostou um só dedo nela.

Finalmente! Demorou, mas finalmente a reação esperada aconteceu!

- Ela é muito nova para ter um namorado... quem é ele querida?

Esse foi meu pai. Viva! eles odiaram a novidade... ótimo assim eu posso dizer a verdade sem magoar muito a mamãe.

Eu só não esperava que ela, minha querida mãe esperava exatamente essa reação deles!

***


Sentei-me à mesa do jantar sem tirar o olhar do meu prato. Não acredito que o papai e o Emmett foram convencidos de que não tinha nada de mais eu ter um namorado! E agora eles até pareciam felizes com a novidade, fazendo planos para conhecer o Mike, e ver se ele merecia mesmo ficar do meu lado...

O único que não parecia demonstrar nenhuma reação fora o Edward, Ed para mim. Eu não tinha coragem de olhar para ele, então não sabia se ele estava contra a essa noticia ou assim como papai e o Emmett, tinha se resignado e aceitado a noticia.

- E você Edward querido, não vai dizer nada?

Minha mãe perguntou a um certo ponto do jantar e eu finalmente e por pura curiosidade o olhei.

Ele estava olhando para Esme, os olhos verdes distantes e pensativos.

Ele deu um sorriso torto que eu amor e olhou para mim, nesse momento seus olhos pareciam ter vida mais uma vez.

- Bella já é bem crescidinha... eu só fiquei surpreso por não ter notado isso...

Ele falou em uma voz sedosa ainda sorrindo e olhando para mim. O que me fez corar e olhar meu prato. Eu sempre reagia assim, sempre ficava encabulada e tímida na frente dele. Às vezes meu coração acelerava estranhamente e me fazia ficar tonta.

Ele sempre foi meu irmão predileto, o que me protegia, o que me fazia rir, o que tinha paciência para me ensinar geometria. Eu me sentia segura com ele, me sentia em paz.

Algo no jeito dele, o fato de não ter falando mais nada no jantar me incomodou um pouco. Ele parecia tão distante, tão pensativo. Eu queria saber, queria saber se ele tinha percebido que eu não tinha falado a verdade, que na realidade não tinha namorado algum, que eu não tive coragem de contar a verdade a mamãe.

Suspirei subindo as escadas para o meu quarto.

O que eu iria fazer? Eu tinha uma certeza pelo menos: Definitivamente eu iria matar o Newton!

Entrei no meu quarto indo até a janela de três faces projetada para fora, em estilo bay window, que o papai fez questão de colocar no meu quarto.

A casa era localizada no ponto mais distante da cidade. Havia tanta calma e silêncio naquele lugar que às vezes eu me esquecia que a poucos kilometros dali havia uma grande cidade, com carros e pessoas indo e vindo.

Abri a janela, me sentando no encosto da parede.

Que dia longo.

Nem mesmo a paisagem ajudava a dar uma melhorada no meu dia. As arvores ou o verde do jardim que havia atrás da casa, um lugar lindo digno de contos de fadas. Eu sempre me imaginei ali, junto da minha pessoa amada, dançando sobre a luz do luar. Talvez como a Cinderela e o príncipe antes da meia-noite.

Podiam-se ver os pequenos vaga-lumes iluminando o jardim, e as arvores formarem sombras escuras sobre a terra, e o caminho de pedra que levava a pequena fonte no centro do jardim parecia reluzir.

Ela se distraiu olhando o jardim que mal notou a leve batida na porta do seu quarto. Mas assim que ELE entrou pelo quarto, ela se virou sorrindo com os cabelos cobrindo parcialmente seu rosto corado.

****
avatar
Milly_Kamelot
Vamp Novato
Vamp Novato

Mensagens : 22
Pontos : 28
Data de inscrição : 13/10/2009
Idade : 135
Localização : sentada perto do muro lendo o livro de como os espíritos podem ser perigosamente perigosos quando não são invocados de maneira adequada.

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Levanah Latleia
Classe: Terceiros Formandos Terceiros Formandos
Afinidade Afinidade: Água Água

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Admin. em 13/10/09, 11:16 pm

não resisti, não resisti Embarassed quem mando a Milly colocar o link do Fanfiction (agora eu acho que ela retirou mais não tem masi jeito eu ja li, foi errado mais eu li, e to apaaixonada pelo historia, e eu quero mais eu mereco mais,sou uma amante de fic, e escrevo por varias vezs e sinto não chegar nem as pés da Milly, ela escreve muito bem, pensa em coisas que eu não poderia pensar, aiaiaiai eu quero mais fic) Milly isso é maldade vc fazer uma fic tão boa assim, e eu sou eprva não mereço umas fis desta@!
avatar
Admin.
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 533
Pontos : 667
Data de inscrição : 19/07/2009
Idade : 27
Localização : my thoughts

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Liv
Classe: Sextos Formandos Sextos Formandos
Afinidade Afinidade: Espirito Espirito

http://www.filhasdastrevas.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Milly_Kamelot em 13/10/09, 11:38 pm

Capitulo II

Acordei exatamente ás 4:01hs da madrugada, com um barulho ensurdecedor que vinha de algum lugar do meu quarto.

Claro que a principio não suspeitei quem ou o quê poderia estar fazendo aquele barulho horrendo, mas ai me veio um nome a cabeça. Eu tinha me esquecido, depois do jantar... depois da conversa com o Ed eu simplesmente tinha me esquecido da ALICE!

Ela provavelmente iria me matar, ou pior, iria me torturar de um jeito que somente uma Alice era capaz de fazer.

Levantei-me meio desespera por causa do barulho do telefone e meio dormindo, o que claro significa que de alguma forma os cobertores se enrolaram em minhas pernas e me garantirão uma queda de cara no chão. Era tudo o que eu queria em uma madrugada de sexta-feira.

Xinguei... mais precisamente xinguei o Mike, - afinal ele era o maior culpado pelos meus problemas- me levantei tateando a mesinha de onde vinha o barulho, peguei o telefone enquanto falava com uma voz mais sonolenta do que eu imaginei que estaria:

- Alô... Alice...

- Espero que você tenha uma boa explicação... me deixou esperado durante horas! Sabe o como eu estou curiosa para saber o que acontecer? E claro que sabe! e tão frustrante ficar sem noticias, você não pode imagina... ahhh é espero que tenha quebrado o nariz na queda!

Por um segundo fiquei me perguntando como ela sabia que eu havia caído, mas como cair e um simples fato que sempre ocorre comigo e que não significava uma novidade para ninguém, tentei ignorar essa parte da conversa. Foi quando eu finalmente percebi que ela tinha parado de falar, talvez para respirar um pouco.

- Ah Alice.. eu não tive coragem... – desabafei me sentando no chão – Ela estava tão feliz... e o papai e o Emm também pareciam contentes e tudo... simplesmente não deu para falar. Sou uma covarde...

Isso era a mais pura verdade, eu não tive coragem para contar a verdade a ninguém da minha família nem mesmo ao Ed.

Mesmo que ele tenha vindo ao meu quarto para saber se a historia era verdadeira. E eu simplesmente menti e disse que SIM! que eu estava namorando o idiota e prepotente com uma tendência inegável á ter um super ego: Mike!

Não sei porque eu fiz isso, eu tenho certeza absoluta que o Ed não acreditou em nenhuma das minhas palavras – o que de certa forma era um alivio – mas eu não tive coragem de admitir em voz alta que aquela historia não passava de um terrível engano.

Talvez eu tenha ficado encabulada de mais, nervosa... ou enciumada por ele poder ter uma namorada e eu ter que ficar somente assistindo... quer dizer e normal sentir ciúmes e ficar encabulado na frente de seu irmão mais velho, certo?

Eu também tenho o direito de mostrar a ele que cresci que eu também posso namorar e beijar outros garotos, não tem problema nenhum nisso e absolutamente normal...

Mesmo que toda essa historia não passassem de mentiras, que na real, eu nunca beijei um garoto ou qualquer coisa assim... – eu só queria fazer ele parar de me olhar como uma criança, eu não era mais uma menininha!

Ok eu devo estar pirando... e eu sei que ele sabe que tudo é mentira, então ele sempre vai continuar a me olhar como uma menininha e pior, agora mais do que nunca ele deve me achar muito infantil!

- Bella você esta me ouvindo?! Espero que não esteja dormindo... BELLA!!!!!!!!!!!!!!!!

- Alice... eu vou desligar eu tenho aula hoje...

- Ahh não Bella você ainda não me disse NADA! como você acha que eu vou ficar sem saber o que você fará em relação ao Mike?

Mike? Porque ela estava perguntando do Mike, ela não vê que o maior problema e o Ed que eu estou mais preocupado com o que ele pensa disso e... espera é mesmo o Mike! ele é o culpado de tudo...

- Eu simplesmente vou matá-lo!

- Então espere pra matar ele na próxima semana, assim eu posso ser o seu álibi... sabe nessas situações e sempre bom alegar insanidade...

- Alice não brinque!

- Não estou brincando, mas agora você conseguiu arrumar uma baita confusão...

É, eu sabia disso... e o pior eu estava me preocupado com a pessoa errada.

-o-

Quando desci as escadas para o café da manhã não encontrei ninguém... isso não era bem uma novidade, mas depois do jantar de ontem eu esperava pelo menos a minha mãe sentada a mesa com um sorriso enorme e tagarelado que iria me levar a escola e aproveitaria para conhecer meu “namorado”, gemi com essa idéia e fui a cozinha fazer um pouco de café.

Nada melhor que um café doce e quente em uma manhã gelada de sexta-feira. Papai e Emmett tinham deixado recados no quatro de avisos que ficava na parede da cozinha.

Carlisle: queridos tenho plantão hoje voltou mais tarde, não esperem por mim.

Emmett: to indo com a Rose a uma festinha da facu – sem hora pra voltar- Bella o ultimo pedaço da torta que esta na geladeira é minha!!!!!


Devo comentar que eu já comi a torta?

Peguei a caneta e escrevi enquanto tomava o restante do café.

Bella: Esto indo pra escola de ônibus... beijos Bella.

Suspirei e sai da cozinha jogando a bolsa nas costas. O ponto de ônibus mais próximo ficava no fim de uma estradinha de terra. Eu já comentei que o lugar onde eu moro e o mais distante possível da cidade?

Fechei o portão da casa.

Não é muito animador ficar andando durante 20 minutos em uma manhã fria de sexta-feira, geralmente era o Carlisle que me levava a escola, quando ele não podia o Ed me levava... mas isso foi antes, antes de ontem e antes dele arrumar aquela namoradinha nojenta.

Eu creio que ainda não tive oportunidade de falar dela, mas que interesse ela tem? nenhum... ela só e a namoradinha do Ed e eu não faço idéia do que ele viu nela, esta bem... ela é linda, é loira, tem a pele bronzeada e tem cara daquelas modelos de capa de revistas, ela só perde, talvez, para Rosali a namorada do Emmett...

As duas parecem que....

Beep-beep

Tropecei em uma pedra e praticamente cai de susto ao ouvir uma buzina de carro que vinha atrás de mim. Levantei-me enquanto eu amaldiçoava mentalmente o motorista que havia me assustado, deixando assim de notar que ele havia parado o carro e que estava me chamando...

- Bella!!!!!!

Espera um momento, o motorista idiota do carro sabe meu nome? E porque demônios ele estava rindo? Não posso imaginar o que ele acha tão engraçado, ele me assustou pra valer, francamente se esse cara não parar de rir eu....

- Bella você esta bem? você realmente parecia...

Ele parou de rir e de falar assim que eu olhei para o rosto dele. Não que eu de alguma forma fosse parecer assustadora ou coisa do gênero, mas aquela gargalhada estava me causando um ódio profundo. Não dele, mas de mim mesma, como era possível as coisas sempre darem errado para mim daquela forma?

- Edward?! o que faz aqui?

Perguntei alarmada, sentindo a intensidades daqueles olhos verdes sobre mim.

O que ele estava fazendo aqui? ele era a ultima pessoa que eu desejava ver hoje. Puxa meu irmão sabe ser insensível quando quer. Quer dizer, depois da nossa “conversa” de ontem, era de se esperar que ele se mantivesse o mais longe possível de mim. Já tinha sido suficientemente constrangedor mentir para ele sobre o lance do namoro, além de aquentar aquele silêncio profundo que se estalou no quarto depois disso.

- Vou te levar a escola...

Ele falou como se isso fosse obvio, e que qualquer outro idiota teria chegado a essa conclusão sem precisar perguntar.

- Vem entra...

Ele deu um passo para me ajudar e eu praticamente fugi da mão dele e dei a volta no carro o mais rápido possível. Certo eu estava nervosa.

Silêncio.

Eu simplesmente odeio isso. Não olhei novamente nos olhos dele, tinha medo do que poderia encontrar ali. Uma acusação do tipo: você é uma mentirosa infantil Bella, porque simplesmente não fala a verdade e para de agir como uma louca? Não tenho certeza de como eu acabaria reagido se algo do tipo acontecesse.

Na realidade eu vinha me perguntando isso dês do telefonema de Alice. Eu estava me metendo em uma grande confusão e não fazia idéia de aonde isso poderia parar. Mike, mamãe e papai, o Emm e o Ed... tudo parecia estar se misturando e se tornando uma enorme bola de neve. Alice tinha razão eu tinha que resolver isso logo.

Então eu cheguei a uma incrível resolução: aquele era o melhor momento para falar a verdade; para colocar as cartas na mesa e resolver tudo de uma vez por todas! Era melhor resolver aquela situação enquanto ainda estava no começo!

Foi com isso na cabeça que eu abri minha boca e falei:

- Ed... sobre ontem eu...

- Sinto muito Bella.

Eu o olhei incrédula... ele sentia muito? Ele não olho para mim, parecia ocupado olha fixamente a estrada.

- Eu não tinha o direito de duvidar de que, talvez, você realmente tenha um... na-namorado...

Foi impressão minha ou ele realmente deve dificuldades para dizer a ultima palavra? Não.. claro que não... a minha imaginação ainda ia me levar a loucura... sem falar que é obvio que ele não esta totalmente convencido do meu namoro.

NAMORO?! Bela você não esta namorado, e ele esta totalmente certo em não acreditar em nenhuma palavra sua. Concentração, lembra-se: falar a verdade, resolver toda aquela situação.

- Sobre isso Ed, eu queria dizer que...

Ele olhou para mim, um segundo, um pequeno e único segundo olhando para aqueles magníficos olhos verdes foram o suficiente para me desorientar, me fazer esquecer qualquer coisa.

- Algum problema Bella?

Ele perguntou e eu olhei para o outro lado, eu realmente tinha que dizer algo a ele, mas eu já não tinha tanta certeza do que era. Como ele fazia isso eu não tinha idéia... ele esvaziava a minha mente e me deslumbrava como ninguém... isso é perturbador. Ele é seu irmão, tive que lembrar a mim mesma, talvez assim meu coração parasse de bater tão acelerado.

Confesso que não percebi quando o carro parou. Mas percebi quando o Ed se inclinou e tocou meu rosto me fazendo olhá-lo nos olhos. O que era aquilo agora?, algum tipo de tortura dos deuses, um castigo por eu ser uma mentirosa?

- Fale Bella, o que você ia me contar?

Ele perguntou em uma voz suave, o hálito fresco acariciando meu rosto. Aquilo era covardia, ele simplesmente não percebe o quanto mexe comigo? o quanto eu fico perturbada?

- Eu... eu... não é nada importante...

Consegui falar com muito esforço, eu estava passando por um serio problema de coerência, sem conseguir assimilar corretamente a situação em que me encontrava.. Porque ele estava tão perto?

- Bella eu não gosto disso, não gosto da idéia dele poder tocá-la.

Ele sussurrou perto do meu rosto, como se compartilhasse um segredo. Aquilo me pegou de surpresa. Tive a sensação de estar perdendo alguma coisa, meu coração estava batendo tão rápido e tão alto que eu poderia jurar que ele era capaz de ouvi-lo.

- Bella... diga-me uma coisa...

Ele sussurrou olhando meus lábios rapidamente e depois olhando meus olhos. Perdi-me naqueles olhos e respondi:

- Sim?

Ele sorriu, e eu me arrependi por ter respondido uma coisa que talvez eu não queira responder.

- Você o beijou?

Esqueça, aquilo era de mais para mim olhando-o nos olhos, eu sabia que ele via a verdade, que eu não tinha namorado, que eu não o tinha beijando, que nunca tinha beijado um garoto. Então porque ele falava aquelas coisas?

Ele inclinou o rosto para perto do meu, quase tocando meus lábios e meu coração foi a mil. Minha cabeça girou e eu podia jurar que o ouvi sussurrar.

- Não vou lhe fazer mal, e só algo que desejo...

No momento seguindo senti os lábios quentes dele, o carinho do toque o desejo inesperado dentro de mim. E no outro momento ele já havia se afastado, como se um choque tivesse despertado ele para a realidade. Enquanto eu paralisada tentava entender o que aquilo poderia significar.

-o-

- Bella você precisa me ouvir.

- Não Mike eu não preciso te ouvir, eu preciso te matar! como você pode contar aquilo a minha mãe?

- Eu não fiz por mal.

- Não fez por mal? Ela pensa que você é meu namorado!

Os olhos dele brilharam.

- Então você não desmentiu?

Eu olhei para ele com ódio, não tinha desmentindo e pior eu não podia fazer isso de jeito nenhum. As coisas estavam confusas de mais e minha cabeça parecia prestes a explodir, quando me sentei na cadeira da sala de geometria.

Tentei me concentrar nas aulas, e tirar todas as outras coisas da minha cabeça.

A - o beijo inesperado do Ed, -meu irmão-

B - no desejo de matar o Mike, e garanti que o corpo dele nunca fosse achado.

C - e no problema que aquela historia tinha trazido para a minha vida tranqüila

-o-


Última edição por Milly_Kamelot em 13/10/09, 11:52 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Milly_Kamelot
Vamp Novato
Vamp Novato

Mensagens : 22
Pontos : 28
Data de inscrição : 13/10/2009
Idade : 135
Localização : sentada perto do muro lendo o livro de como os espíritos podem ser perigosamente perigosos quando não são invocados de maneira adequada.

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Levanah Latleia
Classe: Terceiros Formandos Terceiros Formandos
Afinidade Afinidade: Água Água

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Admin. em 13/10/09, 11:44 pm

leiam, leiam!!
avatar
Admin.
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 533
Pontos : 667
Data de inscrição : 19/07/2009
Idade : 27
Localização : my thoughts

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Liv
Classe: Sextos Formandos Sextos Formandos
Afinidade Afinidade: Espirito Espirito

http://www.filhasdastrevas.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Milly_Kamelot em 14/10/09, 09:30 am

Blood ties

Capitulo III

-----

Eu podia ouvir o ruindo mínimo da porta ao abri-la, o silencio do interior do quarto decorado de forma feminina, enquanto o brilho da lua entrava pela janela. O som mais forte ali era a respiração pesada e tranqüila da garota. Dormindo.

Sentei na cadeira próximo a cama. Olhar aquele rosto fazia-me sentir bem. O sentimento que me afligia durante o dia, nos momentos em que eu permanecia longe dela, desaparecia. Tudo ficava certo e correto, eu e ela juntos.

Protegendo- a pela eternidade.

Ela crescia, tão linda, tão bela. Tudo ficava tão estranho para mim. Querendo ficar cada vez mais perto dela, zelado por sua segurança a protegendo dos outros. Querendo-a somente para mim. Queria poder tocar aquela face adormecida, sentir o toque macio de sua pele, dos seus lábios. Lábios.

A idéia me deixava deslumbrado, excitado, como seria beijá-la ali? Doce, quente?

Não eram pensamentos que eu deveria ter, ou alimentar. Pensamentos que nem se quer poderiam existir. Mas existiam e eu estava me rendendo, não tinha mais forças para conte-los, ela não se parecia mais com uma menina, e eu não era o único a perceber isso. Pude sentir meu coração se apertando ao pensar nela com outro.

A cada dia eu a queria mais e mais, não como uma irmã. Eu a desejava como um homem desejava uma mulher, eu.....

-----

- Edward! Você esta me ouvindo?

Olhei loira deslumbrante a minha frente, não fazia idéia do que ela poderia estar falando e não me importava, de fato estava pouco ligando para o que ela dizia. As recordações da noite anterior e daquela manhã me adormentavam, nublando qualquer chance de algum pensamento coerente.

- Edward Cullen preste atenção em mim!

- Estou ouvindo Tanya.

- O que há de errado com você Edward? Nunca me tratou desse jeito!

Eu a olhei, ela parecia com raiva. Na realidade parecia enfurecida, será que ela realmente tinha falado algo importante? Duvidei. Tanya era belíssima, qualquer um que a olhasse se apaixonaria por sua beleza. Mas era fútil. Ainda me lembro o que me fez aceitá-la como namorada.

Desespero.

Não era correto, muito menos digno dizer aquilo, mas era a realidade. Eu estava desesperado, lutando com toda a minha força contra os sentimentos que me assolavam, tentando ignorá-los. Desespero com o mostro que estava tomando conta de mim. O desespero me levou aceitar Tanya, com todas as diferenças entre nós, eu acreditei que talvez a beleza dela pudesse afastar os sentimentos que me dominavam. Não fez diferença no final.

Os sentimentos, o desejo, tinham vencido. E eu era um mostro, um mostro que desejava a própria irmã. Que queria beijá-la, não como naquela manhã, não de forma delicada, queria beijá-la com ardor, sentir a gosto da boca dela, sentir a pele dela se arrepiar a cada toque mais ousado...

- EDWARD!

Voltei a olhar a loira, dessa vez agradecido por ter sido tirado daquelas ilusões.

- Tanya não estou....

- Eu sei que você NÃO esta. Não esta prestando atenção em mim, não esta ligando para a festa da faculdade a qual alias somos os anfitriões e não esta se importando nem um pouco com a sua namorada. Você nem me beijo Edward!

Eu queria poder dizer o que me fizera a tratar de forma tão fria mas eu simplesmente não poderia dizer: eu beijei minha irmã hoje de manhã e não consigo esquecer isso. Não seria algo sensato de se dizer, nem para ela, nem para ninguém de preferência, aquilo era meu segredo.

- Tanya eu sinto muito.

Patético, mas é a única coisa que posso dizer sem correr nem um perigo.

- O que você quer dizer com isso? Esta terminando comigo?

A voz escandalosa dela não me abalou, mas a idéia de terminar aquela farsa me deixou, alegre. Eu já não havia desistindo? Eu já não tinha “aceitado” o mostro que havia dentro de mim?

- Acho que nesse momento é o mais prudente a se fazer Tanya.

- Como assim? e a festa? Você simplesmente não pode terminar comigo sem uma explicação!

- Tanya você pode muito bem ir a festa sozinha, e eu sei que será magnífica. E nosso namoro, não ia dar certo por muito mais tempo, somos muito diferentes e o melhor acredite.

- Melhor? – ela parou olhando nos meus olhos e ficando vermelha – É outra! Você esta com outra, é isso Edward? Você esta me trocando por uma vagabundinha...

Tive vontade de bater nela naquele momento, porem eu seria incapaz de levantar a mão a uma mulher e não o fiz. Ela não sabia o que estava dizendo, precisava ficar sozinha a raiva passaria e depois ela se esqueceria e arrumaria outro para meu lugar, essa era Tanya..

Levante-me e saindo da lanchonete que havia no campus da faculdade que freqüentávamos. Claro, Tanya estava fazendo um escaldá-lo e havia inúmeros rostos virados, prestando atenção na discussão, ouvindo cada palavra e provavelmente comentariam o que tinha ocorrido: como Edward Cullen havia deixado uma das garotas mais belas daquele lugar sem um motivo aparente.

Não me importei.

Naquele momento me sentia leve, como se estivesse me livrando de algo muito pesado a qual eu tinha carregado por muito tempo sem perceber. Aquilo realmente me surpreendeu

***


Olhei o céu pela janela da sala, estava escurecendo mesmo assim o dia parecia passar cada vez mais devagar. Olhei o relógio na parede a minha frente cinco minutos para o sinal tocar e a ultima aula acabar. Rabisquei meu caderno, distração essa tinha sido a palavra chave para o dia de hoje, para não me fazer lembrar de nada.

Mesmo sendo inútil, pois minuto após minuto eu me lembrava.

Lembrava de Mike e sua idéia fixa de que éramos namorados e que iríamos ao baile de primavera juntos.

E o mais importante, lembrava de Edward, essa lembrança não era do tipo que eu queria esquecer, eu poderia ficar horas relembrando se não fosse o fato dele ser meu irmão, isso me deixava tão insegura, medrosa, se eu fosse ficar me lembrando se eu gostasse de lembrar, seria errado? E claro, eu sabia que era errando, mas meu coração pula e acelerava cada vez que a lembrança me vinha.

Tive vontade de me bater, o que havia de errado comigo? Por que a idéia do meu irmão – eu realmente tenho que ficar me lembrando disso- ter me beijado parecia tão agradável e gostosa.

Queria poder sentir raiva dele, foi ele que me deu essa lembrança, foi ele quem me beijou e culpa dele eu ter gostado da sensação, do meu coração ter acelerado.

Eu estava entrando em desespero, não sabia o que pensar, como encarar a realidade de que eu realmente tinha gostado que eu queria beijá-lo de novo e voltar a sentir meu corpo vibrar de emoções desconhecidas até então.

3 minutos. Era esse o tempo que me restava de aula. Guardei o restante o material na mochila e só então eu pensei o obvio.

Ele viria me buscar!

Ele sempre me buscava na escola. Não, eu não estava preparada para isso. O que eu iria fazer? Ou dizer?

Em meio ao meu desespero interno, não percebi quando Jess, uma amiga minha tinha começado a falar ou melhor a tagarelar que era o que ela geralmente fazia.

- Bella? E verdade? – a voz dela parecia ao mesmo tempo magoada, e irritada. – Você é o Mike estão juntos?

Eu a olhei. Pronto, agora a escola inteira sabe, eu vou me atirar de uma montanha. Não péssima idéia.

- Quem lhe contou isso?

Perguntei forçando um ar de inocência, duvido que ela tenha acreditado.

- Ele estava falando com o Eric na hora do intervalo, perguntando onde você estava, sabe você realmente desapareceu, mas como ninguém sobe dizer, ele disse “...só estou um pouco preocupado com a minha namorada.

- Oh.

Foi tudo o que pude dizer. Eu sabia que Jess tinha uma paixonite pelo Mike, mas o que eu poderia dizer? Que ele é um mentiroso, safado e que merece uma morte cruel? Apesar disso soar tentador eu não poderia fazer isso, se eu fizesse, quais eram as chances da minha mãe descobrir a verdade? Eu deixaria tudo no ar não confirmaria e não desmentiria, que as pessoas tirasse suas próprias conclusões.

Naquele momento eu vi a Jess tomando ar para fazer mais perguntas, o que me salvou foi o sinal. Em casa eu pensaria em desculpas para evitar as perguntas dela.

Joguei a mochila nas costa e corri em direção a porta gritando.

- Tenho que ir Jess, tchau até amanhã.

Espero que ela não fique magoada.

Olhei em volta, vários alunos estavam saindo das suas próprias salas e indo em direção a saída, olhei o corredor conferindo se o caminho estava livre. Certo eu tinha cindo uma covarde, passei o dia todo evitando cruzar o caminho do Mike. Eu não queria vê-lo, eu não queria ouvi-lo e muito menos falar com ele.

No nível de estresse a qual eu estava era capaz de eu arrancar a cabeça dele fora. Agora mais do que nunca, depois do que a Jess falou, não somente minha família mas também toda a escola pensava que estávamos saindo. Corri até a frente da escola, se eu estivesse com sorte um volvo prata estaria me esperando para me salvar. E uma idéia louca me passou pela cabeça, eu parecia uma noiva do século passado fugindo de um pretendente arrogante e correndo em direção ao príncipe encantado – a qual eu seria apaixonada – e seu cavalo branco e eles me levariam para um lugar longe e seguro onde viveríamos felizes.

Parei. Príncipe encantado em um cavalo branco? No que demônios eu estava pensado.

Mas ai eu ouvi meu nome e reconheci a voz masculina.

- Bella!!!!

Corri. Para o Edward no volvo prata. (n.a.: certo fiquei morreeeedo de vontade de escrever: Para o vampiro no Volvo Prata. Mas acho que isso não tem muito haver com a historia.)

E lá estava ele para salvar minha vida. Ele me viu correndo e abriu a porta, eu podia ver o ar de confusão no rosto dele, mas também podia ver como ele pareceu compreender quando viu Mike Newton correndo atrás de mim.

Entrei no carro, praticamente me jogando no banco do passageiro. Ouvi a porta se fechando atrás de mim, eu estava ofegante sem ar e meio que surpresa por não ter caído ou perdido o equilíbrio enquanto corria, talvez meu problema de equilíbrio seja algo mais psicológico que físico. Ou talvez eu tenha dado sorte.

- Deixe-me falar com ela!

Ouvi alguém gritando, parecia tão ofegante quando eu, e claro não precisei olhar para a janela do carro para saber quem era. Mike Newton estava curvado arfando, mais ainda parecia ter energia para gritar com o Ed. Eu teria avisado a ele que era uma péssima idéia gritar com o Edward, principalmente se você não é da família. E claro a confirmação do meu pensamento veio em seguida, eu não podia ver o rosto do Edward mas eu via claramente o rosto do Mike que ficava cada vez mais pálido e com os olhos arregalados.

-Ela não tem nada para falar com você Newton. E se voltar a se aproximar dela ou tocá-la ira se arrepender para o resto da vida...

Eu não ouvi o que o Ed falou depois, mas eu tinha certeza que ele havia falado alguma coisa pois o Mike ficou mais pálido – se é que isso era possível – e se afastou uns três passos antes de cair no chão tremulo. Eu estaria rindo se não tivesse ficado tão surpresa, eu poderia esperar uma reação assim do Emmett mas não do Edward. Quer dizer Edward Cullen ameaçando e assustando um garotinho? Parecia tão irreal. Não que meu irmão não fosse assustador quando queria, mas eu também nunca o tinha visto ameaçando alguém de verdade.

Ele deu a volta no carro e ligou o motor. O rosto dele parecia tranqüilo e inofensivo, quer dizer ser, se ser charmoso, lindo, deslumbrante e definitivamente gostoso for algo inofensivos. Ta onde eu to tirando isso?. Foco bella é seu irmão!

Estávamos na estrada quanto ele finalmente perguntou.

- O que foi aquilo agora a pouco Bella?

Eu não queria responder, era patético de mais, e tinha alguma coisa a ver com não falar com Mike, salvar minha vida, cavalos brancos e príncipes em volvos prata.

Eu estava enlouquecendo de fato.

- E o que foi aquilo hoje de manhã?

Ele não pareceu reagir a minha troca de assunto. Mas eu com certeza reagi pois senti minhas bochechas queimarem e eu sabia estava corando – como tinha feito o dia todo- ao lembrar do beijo. Tanta coisa para eu falar e eu tinha que trazer justo aquela lembrança?

- Pensei que ele fosse seu namorado. Mas do jeito que você estava correndo eu diria que: você esta se tornando uma boa mentirosa.

- O Emmett faz o possível por mim.

Desconversei me sentindo magoada, sim eu era uma mentirosa infantil, e ele poderia jogar isso na minha cara agora.

- Então vamos parabenizá-lo quando chegarmos em casa.

- Não.

Eu praticamente gritei e o Edward se virou para olhar meu rosto, mas depois olhou para a estrada novamente.

- Por favor não.

Choraminguei, o que a mamãe iria pensar de mim se soubesse a verdade? Carlisle e Emmett também ficariam com raiva de mim como e Ed estava?

- Eu não fiz por mau... eu só não consegui contar a verdade. Você viu a Esme ficou tão feliz, não posso magoar a mamãe.

- Isso é infantil Bella.

- Por favor?!

Ele ficou em silencio, e eu olhava minhas próprias mãos tentando me preparar para o que viria em seguida. O olhar de critica do Emmett, igual ao do Ed, a descrença do Carlisle e a magoa da Esme. Como eu viveria com isso. Eu poderia chorar se não estivesse tão nervosa e apavorada.

O carro parou, e meu coração pulou no peito. Fechei os olhos respirando profundamente.

- Bella? Olhe para mim Bella.

Eu obedeci encontrando os olhos verdes dele bem a minha frente. E agora meu coração acelerou por um outro motivo. Motivo esse que não pretendo descobrir qual é. Bom essa era a minha intenção antes do que viria a seguir.

- Não vou falar nada para ele.

Eu respirei. Não tinha motivo para eu ficar tão nervosa então.

- Mas faremos uma troca, eu guardo seu segredo e você guarda um outro segredo.

Ele me contaria um segredo? Isso era uma surpresa, como assim ele queria que eu guardasse um segredo? dele? Antes que eu pudesse perguntar eu sentia mão dele na minha nuca. Depois disso nenhum pensamento meu foi coerente...

Ele acariciou meu rosto que estava a centímetros do dele, meus olhos castanhos fixos e seu olhar. Inspirei a essência masculina que emanava de seu corpo, isso fez meu sangue ferver. Nossas respirações se misturavam, aceleradas pelas emoções, então ele inclinou-se, beijando-me. No começo foi suave, com o sabor do contado dos nossos lábios. Depois ele sugou o meu lábio inferior o mordiscando levemente e isso me desarmou, fazendo-me entreabrir os lábios e convidá-lo a aprofundar a caricia daquele beijo.

***
avatar
Milly_Kamelot
Vamp Novato
Vamp Novato

Mensagens : 22
Pontos : 28
Data de inscrição : 13/10/2009
Idade : 135
Localização : sentada perto do muro lendo o livro de como os espíritos podem ser perigosamente perigosos quando não são invocados de maneira adequada.

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Levanah Latleia
Classe: Terceiros Formandos Terceiros Formandos
Afinidade Afinidade: Água Água

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Milly_Kamelot em 14/10/09, 09:37 am

Capitulo IX

Entrei em casa ainda arfando e atordoada, afinal de contas qual era o meu problema?

Eu havia acabado de beijar o meu irmão! IRMÃO, fala sério! que tipo de pessoa eu sou? Uma, uma... ninfomaníaca – diabos, o que é isso? Bom, deve ser ruim!

Corri para meu quarto com o coração a mil. De todas as coisas malucas que poderiam me acontecer, olha o que eu fui fazer. Minha cabeça parecia não parar de dar voltas e mais voltas, pensamentos indo e vindo em uma agilidade que eu realmente tinha dificuldade em acompanhar.

Olhe a minha situação: meu irmão me beija e eu, definitivamente derreti naqueles braços – Fortes e musculosos – em suma aquele beijo foi uma delicia! Algo totalmente proibido. “hello, ele é meu irmão! Sangue do meu sangue....”

Me joguei na cama. O que eu irei fazer? Quero dizer, eu acabei de deixar claro ao Ed - bem claro, explicito melhor dizendo - que não havia problema algum em beijar-lo... beijá-lo a ponto de me deixar embriagada por aqueles lábios, seu corpo colado ao meu, minhas mãos afundando naquele emaranhado cabelo cor de bronze...

“Oh god, o que foi aquilo? nem sei descrever, foi... foi envolvente, maravilhoso, gostoso, quente... quente.. como estava quente naquele carro ”

Alguém por favor me dê uma luz, estou absolutamente perdida, o que esta acontecendo comigo? Alguém sabe me dizer porque eu gostei tanto de algo que nem se quer poderia ter ocorrido?

“Ahhhhh”

Soltei um grito de frustração me jogando na cama tapando minha cabeça com o travesseiro a qual não percebi estava mordendo, não demorou nem 2 minutos após minha entrada no quarto para eu ouvir a porta se abrindo

- Bella, querida você esta bem?

Minha mãe olhou-me nos olhos com uma expressão preocupada.

- Estou ótima mãe.

Apenas tentando entender por que eu beijei meu irmão, e pior ainda, por que eu gostei de beijá-lo.

Sabe aqueles beijos que tem nos filmes de romance quando as pessoas estão apaixonadas? Daqueles bem demorados, intensos e profundos? Pois é, foi um beijo desses, surtei; sério, quem deu um beijo desses fui EU, e digo foi muito bom, minhas amigas morrerão de inveja!! O que eu estou pensando? Eu Não devo gostar, eu beijei meu irmão. Ah não, eu estou ficando louca? Eu sou a pior pessoa do mundo, pronto, ahhh foi meu primeiro beijo e eu nem poderei contar para minha mãe, por motivos mais que óbvios.

- Querida... meu amor... Bella.

Fui acordada de minha viagem quando ouvi meu nome

- Você parece tão agitada meu bem, subiu correndo as escadas, esta tão distraída, você tem certeza que esta bem? Não tem nada que queira me dizer?

- Oh não mãe, não tenho nada a lhe dizer, eu estou muito bem.

Disse tentando fazê-la acreditar que sim, mas falhei, pois comecei a lembrar novamente do beijo...Uma nova onda de sentimentos me invadiu fazendo-me sorrir bobamente.

- Foi alguma coisa com o seu namorado?

Oh Mike, para meu desgosto me lembrei daquele idiota sem cérebro, que supostamente era para ser meu namorado, ainda bem que Ed deu uma lição nele, creio eu que ele não ira mais incomodar-me; não acho que seja estúpido ao ponto. Ou será que seria? Ai, melhor nem pensar.

- Na realidade mãe foi exatamente isso.

Bom, se ela acha que eu tenho um namorado porque não tirar isso a meu favor?

-Vocês brigaram ou algo parecido

Ela perguntou, me lançando um olhar malicioso

- ah mãe não briga comigo, mas... ele me beijou e foi tão ...

Sinceramente nem sei o que falar. Meus sentimentos estavam desordenados, eu começava a lembrar novamente de tudo fazendo meus pensamentos ficarem confusos.

- você gostou do beijo querida? Como foi? Ele foi delicado? Ele tentou “pegar” em você? Ah conta tudinho pra mamãe!

Ela sorria como uma criança em dia de natal e pude perceber que ela falou a ultima pergunta com um olhar mais preocupado, era adorável vê-la tão feliz. Será que isso aconteceria caso eu dissesse que quem me beijou não foi o Mike e sim o Edward, meu irmão? Algo me diz que ela não estaria tão feliz e iluminada como esta agora.

- ahh mãe foi incrível, primeiro ele somente encostou os lábios nos meu, um selinho, sabe? Depois ele simplesmente me beijou e eu....

Eu parei de tagarelar assim que percebi que tinha mais alguém no quarto. Alguém me enforque, ha quando tempo será que ele estava ali escutando? Será que sabia que eu estava falando dele e não do Mike. Boba é claro que ele sabe que é dele que você estava falando!

Corei, instantaneamente senti minhas bochechas queimarem e olhei para o chão. Oh não, não por favor, o que ele vai pensar? Droga, porque eu to preocupada com isso, foi ele quem me beijou e não ao contrario...

- Você esqueceu a bolsa no carro Bella.

Senti alguma coisa bater no colchão, não olhei para ver o que era. Eu sentia cada célula da minha pele queimar com o olhar que ele me lançava.

- Você saiu com tanta presa. Parecia que estava fugindo de alguma coisa..Você se assustou comigo?

- Porque você assustaria a Bella, Edward?

Eu olhei para a minha mãe e depois para o Ed, e corei novamente;

- Ele não me assustou... estava somente com presa...

- De sair do meu carro e fugir de mim, como se eu estivesse preste a devorar-lhe....

E não estava? Seu idiota gostoso e metido! Serio ainda não consigo acompanhar meus pensamentos, de onde eu tirei a palavra gostoso?

Mordi o lábio, e o olhei firme nos olhos dele; Deus que erro! Que olhar era aquele? Aquela íris verde tinha um brilho diferente, um brilho de... malicia e... luxuria?

- Edward querido pare de brincar com sua irmã, ela já tem vários sentimentos novos para lidar no momento;

- O quê? ahhh, sim o beijo... hei Bella, me diz como foi? O tal do.... Mike – ouvi o deboche na voz dele e fiquei chocada – beija bem?... Você tem vontade de beijá-lo novamente?

Eu estou totalmente chocada, e com toda certeza eu estou vermelha como um pimentão, notei a visível insinuação na voz do Ed, principalmente na parte do “beijá-lo novamente” essa idéia me deixava ainda mais confusa com os meus sentimentos....

- Edward!

Ouvi a voz de repreensão da minha mãe.

- Vamos deixar a Bella sozinha... E trate de não ficar escutando a conversa dos outros.

O olhar castanho da Esme parecia fuzilar o Ed como uma forma de repreensão, antes de olhar para mim e piscar toda alegre. Quando ela saiu do quarto o Ed ainda me olhou nos olhos e falou.

- Eu disse que guardaria seu segredinho...

Ele parou na porta e me olhou mais uma vez.

- Mas não esqueça do nosso pequeno segredinho também...

Esquecer? Quem poderia esquecer?

***


- Aonde então o Ed e o Emmett, mãe?

Perguntei tentando soar o mais natural possível.

- Estão na festinha da faculdade Bella...

E claro. No que é que eu estava pensando?

---

O céu era um manto negro, sem luar ou estrelas. Deixando tudo na mais profunda escuridão. O silencio na casa deixava claro que seus moradores já haviam se recolhido para uma boa noite de sono.

Ele a olhava adormecida, mas uma vez estava lá, no quarto dela, oculto pelas sombras da noite.

Como a desejava! Era até cruel o poder do desejo que sentia em seu peito.

Aproximou-se da cama, deitando-se naquele leito proibido, o aroma perfumado do corpo feminino o invadiu deixando-o inebriado

Abraçando-a e sussurrando seu nome, os lábios tocando o rosto adormecido.

Ela acordaria em breve, e ele ansiava por esse momento, quando ela despertasse. O desejo o corroendo por dentro só não era maior que a dor que sabia estar causando, não somente a ele próprio como a garota em seus braços.

Ele a ouviu gemer gentilmente em seus braços - o som do despertar - ele lutou para controlar a fera que tinha despertado junto com aquele doce som, suas mãos ansiavam poder tocar mais daquela pele sedosa que estava coberta pelos lençóis de linho branco, seus lábios pediam por um beijo ardente, seu corpo....

- Edward?

Ele fechou os olhos, a respiração ficou pesada, controle, nunca lhe fora tão difícil. A apertou em seus braços e a ouviu exclamar em surpresa.

Não lhe faria mal, seria incapaz de machucar sua preciosa menina.

Por isso, somente iria adormecer em sua cama ao lado do corpo frágil dela e por mais que o sangue em suas veias queimasse de desejo... Naquele momento tudo o que poderia ter era o corpo dela em seus braços.

***


Quando acordei na manhã de sábado senti o toque quente de outro corpo junto do meu. Abri meus olhos achando que talvez eu estivesse sonhando ou imaginando coisas.

Meu irmão estava ali ao meu lado, dormindo, o cheiro de bebida veio rápido.

Ele teria se confundido de quarto? Talvez tenha chegado bêbado ou coisa do gênero? Não isso não fazia parte do Edward que eu conheço, mas o Edward que eu conheço também não teria me beijando como tinha beijando no dia anterior.

Senti meu coração acelerar e meu rosto queimar. Era sorte ele estar dormindo, eu não seria capaz de explicar o que estava sentindo no momento.

Eu estava tão perto dele, os braços fortes me envolvendo, nossas pernas misturadas tocando umas nas outras, talvez se eu levantasse um pouco mais meu rosto eu seria capaz de beijá-lo. Corei mais uma vez.

Santo deus, o que estava acontecendo comigo?

Fechei meus olhos me esforçando para raciocinar, eu deveria me afastar dele, eu precisava, meu coração se apertou apenas com a hipótese não gostando nem um pouco da idéia de perder o contado com aquele outro corpo, aquele magnífico corpo.

Ele é meu irmão, o que esta acontecendo comigo?

Estendi minhas mãos para tocá-lo no peito e me afastar, no momento em que o fiz, senti seus braços me apertarem mais de encontro a seu peito. Ao qual eu percebi, tarde de mais, estava sem camisa.

Meus dedos deslizaram por aquela pele, não resistindo e traçando o contorno de seu abdômen bem definido enquanto meu rosto se erguia procurando o rosto dele

Oh deus, o que esta acontecendo comigo? Repeti mais uma vez, tentando raciocinar.

Meu olhar encontrou o dele, ele sorria, aquele sorriso torto que faz meu coração acelerar loucamente. Nossos lábios se tocaram, mas não me movi - e ele também não- para deixar o toque mais atrevido ou transformá-lo em um beijo ardente, era um simples toque de lábios por si só.

- Bom dia.

Ele sussurrou em meus lábios, eu já não tinha mais noção da realidade.

Para o meu desapontamento, ele se afastou, sentando-se na cama e ficando de costas para mim, neste momento eu vi uma fina e longa cicatriz. Aonde ele teria arrumado aquilo?

Em um impulso, meus dedos tocaram suas costas fazendo o caminho daquela cicatriz, senti o corpo dele estremecer e enrijecer.

- Aonde você arrumou isto?

Perguntei tentando parecer natural. O ombro dele se contraiu por um minuto depois ele pareceu relaxar.

- Eu tentei evitar que uma garotinha caísse de um certo balanço....

Ele riu baixo olhando o chão, e eu sorri com a lembrança. Na época tinha ficado tão preocupada com ele! Mas ele jurou-me que não havia se machucado por minha causa.

- Seu mentiroso. Falei afastando minha mão.

Ele não se virou ou falou alguma coisa, isso me incomodou, ele iria embora e depois fingiria que não tinha passado a noite em minha cama, comigo?

- Ed?

Então ele virou-se, e vi em seus olhos verdes um brilho intenso.

Ele me puxou abraçando-me forte, moldando meu corpo ao seu e escondendo o rosto em meu pescoço.

- Bella... eu sinto tanto;

Eu queria poder dizer algo, mas para isso teria que me afastar dele, e não queria me afastar daqueles braços.

Estava tudo tão confuso. Era tão delicio sentir aquele corpo.

Afinal de contas, porque eu continuo achando tudo nele tão delicioso? Ele é seu irmão Isabella! Senti que iria chorar.

Passei meus braços em seu pescoço não resistindo a tocar-lo. Lagrimas desceram em minha face. Eu estava enlouquecendo.

Com tantas coisas acontecendo, e tão rapidamente a única coisa que me parecia certa era ficar ali, com ele. Enrolei minhas pernas em sua cintura deixando-me levar. Ficamos assim durante um grande tempo, eu não sei explicar o quanto, mais naquele momento senti que estávamos selando um pacto, compartilhando algo imensamente grande e forte.

Não me surpreendi quanto senti seus beijos em meu pescoço e colo, na realidade eu estava esperando muito ansiosa o momento ao qual sentiria novamente seus lábios e, não me desapontei nenhum pouco quando ele o fez, salpicando minha pele com as caricias de seus lábios. Não resisti ao impulso e afundei minhas mãos em seu cabelo o puxando mais para mim, ele me beijou nos lábios, um beijo cheio de carinho desejo e... paixão?

No momento ao qual ele aprofundou a caricia de seus lábios eu não me contive e comecei a passar minhas mãos em sua costa, ombros, peito. Senti ele se enrijecer novamente e me beijar com mais ardor. Ele se levantou comigo no colo e deitou-nos em minha cama. Nesse momento ouvimos uma leve batida na porta e isso foi o suficiente para nos fazer separar.

********


Próximo capitulo:

- Não é o que você esta pensando...

- Todo mundo enlouqueceu?

- É só um baile idiota!
avatar
Milly_Kamelot
Vamp Novato
Vamp Novato

Mensagens : 22
Pontos : 28
Data de inscrição : 13/10/2009
Idade : 135
Localização : sentada perto do muro lendo o livro de como os espíritos podem ser perigosamente perigosos quando não são invocados de maneira adequada.

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Levanah Latleia
Classe: Terceiros Formandos Terceiros Formandos
Afinidade Afinidade: Água Água

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Basilio25 em 09/04/12, 10:03 am

Oi eu realmente gostar ia de saber quando esta fanfic se atualizada, eu adorei

Basilio25

Mensagens : 2
Pontos : 2
Data de inscrição : 09/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Basilio25 em 09/04/12, 12:07 pm

Eu adorei a sua fic , você pretende atualiza-la.

Basilio25

Mensagens : 2
Pontos : 2
Data de inscrição : 09/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Daisy em 04/07/12, 02:06 pm

sdds da milly

_________________
"EU POSSO REALIZAR TODOS MEUS SONHOS!!E EU VOU REALIZA-LOS"


Merri meet, merri part, and merry meet again.
avatar
Daisy
Filhos de Erebus
Filhos de Erebus

Mensagens : 1062
Pontos : 1169
Data de inscrição : 09/09/2009
Idade : 29
Localização : Paraiso

Aluno Morada da Noite
Nome Vampirico:: Daisyflower
Classe: Sextos Formandos Sextos Formandos
Afinidade Afinidade: Ar Ar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ::.. Blood ties ..::

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum